26 de mai de 2009

Vamos tomar café?

Hoje com muito custo venci o frio e fui pedalar e fazer exercícios. Aqui em Gov. Valadares se bate um ventinho a gente logo acha que tá nevando...rs. A cidade faz muito calor!  O bem estar que vem depois é impagável.

Há muito tempo sem postar minhas refeições. A máquina estava sem pilhas. Esse foi o meu café da manhã. O que está escondido em baixo dessas cinco rodelas de pepino, das quatro folhas de alface, meia folha de couve e um ovo cozinho é uma fatia de pão com uma fatia de mortadela de frango. Acompanhando um copo de leite desnatado com aveia, linhaça e germem de trigo. Fechei com chá de hortelã com cinco gotas de molho de pimenta. Espetáculo!!!!

21 de mai de 2009

Funções da Obesidade

Excelente post da nossa companheira Dani (leia na íntegra aqui)

Funções da Obesidade

  • Timidez (ou fobia social)
  • Medo de ser feliz
  • Escudo contra emoções negativas
  • Anti-Stress
  • Defesa contra a própria sensualidade
  • Protesto conjugal
  • Consequências de amores obsessivos
  • Baixa assertividade

20 de mai de 2009

A Tirania do Corpo (de Ballone G.J.)

(trechos extraídos do artigo original que se encontra aqui)


Nos consultórios de psiquiatria começa a aparecer em crescente velocidade os problemas decorrentes da obsessão pelo corpo perfeito.

Algumas mulheres se consideram infelizes ao mostrar uma dobrinha na barriga quando sentam. Alguns mocinhos sacrificam boa parte do tempo em intermináveis e obsessivas horas “puxando ferro” nas academias de musculação. Isso sem contar com aquelas pessoas que atribuem o fracasso da conquista do grande amor a um pequeno excesso de gordura na cintura, a um nariz ligeiramente mais profuso ou a um seio menos farto. Parece estar havendo uma locação anatômica da felicidade, ora no seio, ora no nariz, ora na balança.

O conceito de beleza está associado a ser jovem, como se fosse impossível encontrar o belo fora da juventude. É triste, mas às vezes as pessoas acham que o mais importante é o que aparentam, e não o que são de fato. E é comum dizer-se “– Nossa, você já tem 60 anos? Mas não parece...”. Não parece como? Baseado em que? Ora essa atitude invalida todas as experiências vividas para se chegar aos sessenta, que não se consegue aos trinta ou quarenta.

Alem dos transtornos estimulados pela conjuntura cultural, há ainda o problema imposto às pessoas com sobrepeso (e não obesas). Existem dois agravantes sociais cruciais influindo na vida das pessoas acima do peso ideal; uma influência francamente recriminadora e de exclusão social dos obesos e outra, absolutamente estimulante para a manutenção e desenvolvimento da própria obesidade.

É grosseira e desumana discriminação estética imposta pelos parâmetros ditatoriais das medidas, juntamente com o julgamento do obeso como uma pessoa que não tem força de vontade e que ele é assim por ser preguiçoso. O enfoque discriminatório pode gerar preconceito em relação à pessoa obesa, acaba proporcionando dificuldades para relacionamentos sociais e afetivos, problemas para encontrar emprego e até quadros psiquiátricos gravemente depressivos e conseqüentes a essa marginalização.

Clinicamente a obesidade pode ser considerada hoje uma doença crônica, capaz de provocar ou acelerar o desenvolvimento de outras doenças e que concorre para uma morte mais precocemente. Porém, existem inúmeros estados ou situações entre a obesidade e o simples sobrepeso e as regras de um estado não deveriam ser as mesmas do outro, em termos de felicidade. A obesidade, de fato, deve ser prevenida e corrigida, tendo em vista os sabidos efeitos deletérios sobre a saúde e a qualidade de vida. O sobrepeso, entretanto, deve ser melhor avaliado à luz das repercussões culturais, das restrições sociais e da baixa autoestima que esses fatores estimulam.

Paradoxalmente, em franca contra-posição à tendência repulsiva da sociedade contra a obesidade, a ingestão excessiva de alimentos, desde criança, é bastante estimulada por nossa cultura altamente consumista. A armadilha está no forte apelo cultural através da propaganda, do marketing e da mídia publicitária para a ingestão excessiva de alimentos supérfluos, como balas, bolachas, salgadinhos, cerveja, sorvetes, etc.

18 de mai de 2009

Novo blogueiro!

Olá, a todos.

Gostaria de passar um link para um blog.

É o Luiz Fernando começou exatamente hoje (dia 18/05) no seu processo de emagrecimento. Mais um homem... oba! (arriscado esse meu comentário, mas, eu sou espada..rs). Quero dizer que quase não se vê homens assumindo suas dificuldades com a obesidade nos blogs.

Vamos dar uma grande força! Deixe seu comentário, um link para contato e torne-se um seguidor. Todos nós sabemos como isso nos faz bem e quanto tem nos ajudado. Visite o o blog clicando aqui.

14 de mai de 2009

Sem comentários

Saudações suadáveis a todos!
Tenho corrido em vários blogs para retribuir as visitas (e em alguns novos também), mas estou tendo problemas com o meu navegador e internet. Eu não estou conseguindo postar comentários em agluns blogs: escrevo o comentário e quando tento enviar não vai, não acontece nada. Já tentei intalar e reintalar, mudar de versão e nada acontece. Espero em breve resolver isso para eu registrar minhas visitas também em outros blogs.
Agradeço a todos pelas visitas, comentários e incentivos. Preciso muito!

12 de mai de 2009

5 meses de RA

Hoje completo 5 meses que levei aquele susto (veja o meu primeiro post). Muita coisa mudou. Coisas que nem sei expressar, mas, ELE e eu sabemos. E sei que muitas vão mudar. Estou num processo de metabolismo, vivendo metabolicamente e atingirei o estágio final e desejado por mim (e pela maioria daqueles que por aqui passam): uma vida saudável e livre da obesidade.
Perdi algumas roupas com muito prazer, ganhei algumas que estavam esperando por mim numa parte do guarda-roupas. Lembro-me de uma vez que ganhei algumas roupas de um conhecido da família que havia feito uma gastroplastia e as roupas haviam ficado largas. Hoje, posso passá-las para frente, pois, não me servem mais!

Estou há 5 meses sem comer hambúrguer (sem sacrifício), há 1 mês sem comer pizza (com um certo sacrifício), há 11 dias sem comer churrasco (nossa!), há 24 horas sem tomar sorvete (meu Deus, que sacrifício), há 15 minutos sem comer empadinha (recheada com frango e palmito... huumm).

Minha família tem consumido mais frutas, legumes e verduras e menos doces e besteiras alimentares. Outra dia me dei contra que estávamos sentados à mesa degustando uma grande melancia que a minha filha (3 anos) me pediu para compra: “Pai, cê tompa meancia?”. Antes seria uma grande pizza com refrigerantes, etc...


A imagem acima é do pedaço do meu cinto que cortei. Preferir cortar um pedaço a aumentar os furos, não quero pensar na possibilidade de voltar a trás. Corto e jogo fora simbolizando o que eliminei.


Meu peso atual é 103,8

11 de mai de 2009

Algumas notícias sobre a obesidade

Hoje fiz um cliping de notícias sobre a obesidade:


Fiquei indignado com essa notícia que li no blog do Anselmo de Portugal. Quanta falta de consciência de uma mãe!!!


Na Holanda uma boa notícia a favor da saúde das crianças e contra os Fast Foods.

80% dos adolescentes gordos permanecerão gordos no futuro e podem vir a desenvolver algum tipo de câncer (veja o vídeo aqui).

Obesidade infantil pode ser definida até 5 anos de idade.

Programa Obesidade em Foco (não conhecia esse programa). Fala sobre uma técnica cirúrgica que altera um dos itestino e não o estômago. Me parece mais uma propaganda dos profissionais, mas vale a pena ver.

5 de mai de 2009

O que nos motiva?

Existe outra pessoa que mereça mais do que nós mesmos todo esse esforço? Fico pensando sobre a motivação para a busca dessa vida saudável que tanto almejamos. (Bem... não sejamos hipócritas, queremos olhar no espelho e nos ver com aquela roupa que estava na vitrine. Mas, há pessoas que são magras e não possuem saúde para comer, fazer exercícios em fim, viver. Por isso penso que o foco deve estar em hábitos saudáveis e... já postei sobre isso... chega).
É por nós toda essa mudança de vida e (depois) o emagrecimento.
Se coloco minha decisão de mudar “nas mãos do outro”, para alguém me aceitar, notar, elogiar, ajudar... seja essa pessoa quem for, já estarei dando um passo para o fracasso.
Digo isso por experiência própria. Já esperei por companheiros de caminhada, academia, dieta etc... Nunca deu certo. Só consegui algum resultado quando agia sozinho, buscando forças em mim mesmo. O senso de necessidade e urgência é subjetivo. Não ignoro a necessidade consciente (ou inconsciente) de aceitação, porém, não posso condicionar minha vontade, minha força de mudança à percepção do outro.
Temos que nos comprometer com a pessoa que vemos no espelho todos os dias.
Nós somos o alvo do nosso esforço!

4 de mai de 2009

De volta do feriado

Ufa! Limpei quintal e calçada, pedalei 12km na sexta (meu filho me acompanhou bravamente e minha filha, na cadeirinha..rs), no sábado 4km de bike + corrida de 1,5km, no domingo um passeio gostoso com a esposa, filhos e vovó (minha mãe) e, mais à noitinha futebol + exercícios + 10km de bike... ainda foi pouco para combater o aniversário (churrasco) e o almoço de sábado, ou melhor, a sobremesa do sábado: coco ralado com creme feito com leite condensado... vixe!
Mas, voltei com menos 100 gramas: 104,7.
Sobre o churrasco do sábado, antes de ir, comi um cozido de legumes e verduras em casa 40 minutos antes de sair, chegando lá, servi um prato de salada e alguns pedaços de carne, assim não houve tanto espaço para a comilança. Chegando em casa, muito chá verde. No outro dia não senti aquele peso terrível no estômago.
Então, temos mais uma semana pela frente em que temos a oportunidade de escolher nossas atitudes diante dos desafios:

Se você fugir das suas dores emocionais, elas se tornarão um leão agressivo. Se enfrentá-las, elas se transformarão num animal de estimação. Critique, no silêncio da sua mente, cada sofrimento. Não faça da sua emoção uma lata de lixo dos seus problemas. Proteja-se. Pense antes de reagir diante das ofensas.” – Augusto Cury no livro Dez Leis Para Ser Feliz (Ed. Sextante).